Empresas que adotam Business Analytics tem vantagem competitiva

De acordo com levantamento global feito com mais de 4.500 executivos, gerentes e analistas de empresas de 30 segmentos de mercado em mais de 120 países, incluindo o Brasil, 44% das organizações declararam que barreiras culturais, como a necessidade de competências de liderança e resistência da organização a novas ideias, são os principais obstáculos à adoção de tecnologias de Business Analytics and Optimization (BAO). Em contrapartida, apenas 24% dos participantes indicaram preocupações tecnológicas como empecilhos para a implementação.

O novo relatório é uma continuação do estudo realizado em 2010 pela IBM e o MIT SMR para entender como as empresas estavam integrando processos analíticos em operações corporativas. A pesquisa de 2010 identificou três níveis na adoção de Business Analytics: Aspirantes, Experientes e Transformadas – organizações com adoção básica, experiente e avançada da tecnologia, respectivamente. Comparações feitas ano a ano revelam que os usuários mais sofisticados de BAO têm aumentado a implantação de processos analíticos e ampliado sua vantagem competitiva no mercado.

Por exemplo, de 2010 a 2011 o percentual de entrevistados que mencionou ganhos competitivos por meio da utilização de processos analíticos aumentou 23% nas organizações Transformadas e 66% nas Experientes. Estas mesmas organizações têm probabilidade duas vezes maior de ter desempenho substancialmente melhor que seus competidores. Por outro lado, organizações Aspirantes perderam terreno em competitividade, caindo 5% em relação ao ano anterior.

O estudo também identificou os pilares necessários para que uma empresa implemente com sucesso uma estratégia de Business Analytics: promover uma cultura orientada a dados, ter profissionais com competência em gerenciamento de informações e capacitação analítica. As empresas que apresentam estes três aspectos utilizam os processos analíticos de forma mais assertiva para operar com vantagem no mercado.

“Esta nova pesquisa aponta como as organizações que adotaram processos analíticos mais cedo e de forma mais consistente obtiveram ganhos significativos, tanto em desempenho quanto em competitividade”, afirma Mário Hime, líder da consultoria da IBM Brasil para BAO. Segundo Hime, os resultados demonstraram uma necessidade iminente das empresas promoverem uma cultura orientada à informação e estabelecerem estratégias de processos analíticos capazes de conduzir a um conhecimento baseado em fatos e utilizá-lo na tomada de decisões.

De acordo com o estudo, a maior parte das organizações tem utilizado processos analíticos para gerenciar suas atividades financeiras e operacionais. Em média, menos de 25% das organizações Aspirantes e metade das organizações Transformadas afirmam utilizar BAO para tomar decisões que envolvam clientes, estratégia de negócios e recursos humanos. Mesmo organizações Transformadas não estão usando em pleno potencial os processos analíticos, indicando que existem amplas oportunidades de aprimorar a utilização da tecnologia.

Hoje, as empresas Transformadas usam a análise de dados na organização como um todo, mas concentraram-se em aplicar a tecnologia para três objetivos específicos: aumentar a rapidez e precisão na tomada de decisões, gerenciar e prever riscos corporativos que impactam os negócios e atrair e reter clientes a partir do melhor entendimento de seus comportamentos.

Fonte: Meta Análise