Empresas estão acumulando grandes volumes de dados sem transformá-los em receita, aponta relatório

Definindo o caminho para o futuro: 97% dos executivos apontam que suas organizações devem otimizar o uso das informações nos próximos dois anos. As prioridades incluem: aprimorar a capacidade de transformar informações em insights práticos (43%); adquirir ferramentas para coletar dados mais precisos; (38%) e treinar os funcionários para melhor entendimento das informações (38%).

Aumento dos aplicativos setorizados (verticais): 77% das organizações usam software ou aplicativos específicos para o setor em que atuam a fim de otimizar o uso das informações na tomada de decisões estratégicas. Os setores de serviços financeiros (91%) e assistência médica (87%) são os mais interessados na utilização de aplicativos setorizados.

Inteligência é uma das prioridades: 67% dos executivos dizem que a capacidade de obter inteligência com base nos dados é uma das principais prioridades organizacionais.

Descobertas em diferentes setores

Liderando o grupo: os executivos do setor de telecomunicações são os que mais confiam no preparo das suas organizações para lidar com o enorme fluxo de dados, com 20% classificando a própria empresa com a nota "A". Os setores de manufatura, telecomunicações e varejo são os que registraram a menor porcentagem estimada de receita adicional ao ano em virtude dos processos de administração dos dados (10%).

Imersos em dados: os executivos do setor público, de saúde e de serviços públicos são os menos preparados para lidar com a avalanche de dados – com 41% dos executivos do setor público; 40% da área da saúde e 39% de serviços públicos classificaram as próprias organizações com as notas "D" ou "F" no quesito preparo. Os setores de petróleo e gás (22%) e life sciences (20%) perdem a maior porcentagem estimada de receita anual devido aos atuais processos de gerenciamento de dados. 

administradores.com.br