Web é meio de propaganda para 60% das pequenas empresas

Cerca de 60% das pequenas e médias empresas latino-americanas que administram um site próprio se servem das possibilidades oferecidas pela internet para fazer propaganda de seu trabalho empresarial, segundo revelou um relatório encomendado pelo Google e apresentado neste sábado (22) em Bogotá.

Das 3.600 pequenas e médias empresas de países como Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e México (que foram entrevistadas pela empresa de consultoria Pyramid Research para o Google), 86% contam com um site, o que permitiu identificar o grau de vinculação destas empresas com a internet.

As pequenas e médias empresas da região sem site, que correspondem a 14% das consultadas, confirmaram que utilizam alguma forma a publicidade on-line ou que têm a intenção de fazê-lo nos próximos meses.

Dentre os tipos de publicidade às quais pequenas e médias empresas recorrem estão os anúncios contextuais e em buscadores (como Google ou AdWords); os gráficos (como banners); e anúncios multimídia.

Por outro lado, o "Estudo de tendências de uso de internet nas pequenas e médias empresas da América Latina" ressaltou que apenas 18% dos sites de pequenas e médias empresas permite, atualmente, as transações on-line.

Escrever um comentário (0 Comentários)

Prioridades tecnológicas

Médias empresas sem na frente na hora de aprimorar suas estruturas e adotar novas tecnologias, como deduplicação e computação em nuvem

Engana-se quem pensa que as estruturas de TI mais modernas estão nas grandes corporações. Estudo divulgado pela Symantec fornecedora mundial de soluções de segurança, armazenamento e gerenciamento de sistemas – mostra que as empresas de médio porte são as mais propensas a adotar novas tecnologias de segurança para data centers. Em três edições do relatório State of Data Center, é a primeira vez que esta tendência se manifesta. “As médias empresas têm mais recursos para investimentos do que as pequenas e são mais ágeis em relação às grandes, que demoram mais tempo para avaliar uma solução. Essa flexibilidade faz com que adotem novas tecnologias mais rapidamente”, explica André Carraretto, gerente de Engenharia de Sistemas da Symantec.

Escrever um comentário (0 Comentários)

XIV Conferência Anual Futuro da TI

Integração com o planejamento, o futuro da TI

Segundo Donald Feinberg, vice-presidente analista sênior do Gartner, BI encabeça a lista de prioridades dos CIOs latino-americanos pelo quinto ano consecutivo.

O Gartner promoveu,em setembro, a XIV Conferência Anual Futuro da TI, com o objetivo de debater o estágio atual e a direção futura da TI na AméricaLatina. Com o tema "A justificativa econômica da TI", o evento contou com 36 apresentações de analistas do instituto sobre assuntos como business intelligence, data center, gerenciamento de TI e segurança. Donald Feinberg, vice-presidente analista sênior do Gartner e chairman do evento, revelou que os gastos com TI na região devem atingirUS$ 293 bilhões até 2013, o que inclui software, hardware, telecomunicações e serviços. "O número eleva a região ao posto de 'segundo maior mercado emergente em Tecnologia da Informação nos próximos quatro anos, ficando atrás apenas da Ásia", disse o executivo.

Escrever um comentário (0 Comentários)

O BI da Coca-Cola

Demonstrando a tendência de utilização de BI, uma das palestras mais aguardadas do evento (XIV Conferência Anual Futuro da TI) foi a de Justin Honaman, diretor da divisão Customer Business Solutions (CBS) da CocaCola, que apresentou o painel 'Viabilizando a gestão do cliente por meio de Business Intelligence' para mostrar como o BI ajudou a companhia a otimizar processos e melhorar a produtividade.

O objetivo da empresa ao adotar a solução (o projeto teve início em 2003, nos EUA, com a adoção do BI da MicroStrategy e de data warehouse da Teradata) era consolidar as informações de vendas, para que fossem gerados relatórios estratégicos de cada cliente. Segundo ele, 72 engarrafadores (canais de venda) no País atendem às demandas dos varejistas utilizando uma solução única com O data warehouse centralizado. "Antes, cada um possuía e gerenciava suas próprias informações analíticas, o que dificutava a análise de desempenho", disse.

Escrever um comentário (0 Comentários)

Rumo ao sucesso

Passos que levam a um projeto de BI bem sucedido:
  • Documentação de todas as etapas, desde o embasamento até a proposta;
  • Definição de objetivos e do escopo do projeto;
  • Mapeamento do histórico corporativo;
  • Definição de requerimentos;
  • Coleta de casos de sucesso;
Escrever um comentário (0 Comentários)

Business Intelligence como diferencial competitivo

Como escrito em artigos anteriores, Pessoa Jurídica define corretamente as organizações empresariais, pois, assim como as pessoas físicas, cada uma tem seus valores e sua cultura. Diante do exposto, muito poucas vezes um sistema, modelo, prática ou metodologia de gestão, seja ela com foco maior em estratégia ou operacional, será capaz de enquadrar-se exatamente nas características e necessidades específicas de sua organização. 

No contexto anterior é que desejo escrever sobre BI (Business Intelligence), pois, assim acredito que funcione o mundo dos negócios, onde a tecnologia deve ser cada vez mais maleável as necessidades do usuário final e servindo sempre de inteligência para tomada de decisões, muito particulares a cada situação e indivíduo seja ela Pessoa Física ou Jurídica. 

Escrever um comentário (0 Comentários)

e-Commerce

O comércio eletrônico engloba todas as transações comerciais efetuadas por um negócio, com o objetivo de atender diretamente todos os seus clientes, utilizando para tanto as facilidades de comunicação e de transferência de dados mediadas pela internet. O processo para que uma empresa tenha o seu próprio comércio eletrônico é simples: basta que seja uma empresa legalizada.

O comércio eletrônico assemelha-se muito às vendas por catálogo ou por telemarketing: ambos extraem sua principal força comercial do fator comodidade! Mas o e-commerce possui outras vantagens:

  • o seu negócio está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana;
  • baixo tempo de entregas das encomendas;
  • facilidade no acesso a novos mercados e clientes, com reduzido esforço financeiro;
  • a vantagem competitiva das grandes empresas para as pequenas é menor;
  • contato permanente com todas as entidades do processo: as interações são mais rápidas, diminuindo os custos relacionados com a comunicação;
  • conhecimento constante do perfil dos clientes, seus hábitos e regularidade de consumos;
  • antecipação das tendências de mercado, além da disponibilidade permanente de relatórios sobre os produtos mais visualizados e das áreas mais navegadas;
  • rapidez na divulgação de novos produtos ou promoções;
  • e muitas outras!
Escrever um comentário (0 Comentários)